Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Novo percalço no controverso processo de organização do Festival de Vilar de Mouros deste ano, com a saída de Álvaro Covões e da empresa "Everything is New" da co-produção do evento aprazado para finais de Julho (30/Julho-2/Agosto).

 

A um mês da realização do evento, a Associação dos Amigos dos Autistas (AMA), responsável máxima pela tentativa de reerguer o Festival após sete anos de interregno, foi obrigada a encontrar um novo parceiro a fim de apresentar uma programação que tarda em ser divulgada.

 

Segundo apurámos, foi contratada uma empresa inglesa para suprir a saída da "Everything is New", esperando-se o anúncio do programa para dentro de alguns dias, uma vez que é intenção da AMA e Câmara de Caminha manter o evento.

 

Recorde-se que a 2 de Abril deste ano, a anunciada apresentação de bandas, realizada em Lisboa, se saldou apenas pelo anúncio dos Xutos e Pontapés, José Cid, Trabalhadores do Comércio e Capitão Fausto, sendo prometido para os dias seguintes o anúncio de mais conjuntos, nomeadamente estrangeiros.

 

Contudo, o tempo foi passando sem que fosse cumprido o prometido nessa conferência de imprensa de Lisboa, avolumando-se os receios de que algo de errado se estaria a passar.

 

Quase três meses depois, sabe-se que Álvaro Covões bateu com a porta, obrigando a que fosse encontrada uma alternativa, face à incapacidade da AMA em levar por diante um projecto que Marco Reis classificou como "um dos maiores eventos de economia social, pela escala que tem, pelo que envolve e, sobretudo pelo seu fim".

 

Longe vão os tempos de "certezas eleitorais" em que que o protocolo assinado por Marco Reis e Flamiano Martins, em representação da AMA e Câmara de Caminha, em meados de Agosto de 2013, a meio do espectáculo dado pela Áurea no Largo do Casal, no coração do Festival, causou forte contestação, ao ser acusado esse acto inusitado, de oportunismo eleitoral.

 

Miguel Alves, presidente do município caminhense, contactado pelo C@2000, escusou-se a comentar a situação decorrente da saída de Álvaro Covões, confirmando apenas a realização do evento para as datas previstas.

 

Prevêem-se para breve novos desenvolvimentos deste conturbado regresso do Festival de Vilar de Mouros.

 

Texto publicado no semanário caminha2000

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:10


39 comentários

De Lita a 04.07.2014 às 17:25

Vocês acabaram com o Festival. São uns cobardes que se escondem para tentar denegrir quem está a fazer tudo para reconquistar o Festival. Metem nojo de tanta ordinárice. Ainda vão engolir o próprio veneno.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Junho 2014

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D