Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Após as mais concorridas (seguramente) eleições, para a direcção da Casa de Repouso do Bom Jesus dos Mareantes de Caminha, realizadas há meio ano atrás, em que concorreram duas listas, gerou-se forte expectativa quanto ao futuro desta instituição, decorrente do enfrentamento visível na ocasião entre os apoiantes da lista vencedora encabeçada por António Silva, e a derrotada, tendo como candidato à presidência Rui Matos que tentava o quarto mandato à frente dos destinos desta casa.

A abertura de uma auditoria às contas da anterior direcção, a presença da Polícia Judiciária investigando a sua gestão (situação que remonta a 2010), as acções empreendidas pelos novos responsáveis da Casa de Repouso e seus projectos a médio e longo prazo, a par da tentativa de clarificação de algumas decisões tomadas recentemente, levaram-nos a entrevistar António Silva, presidente da Direcção.

C@2000: Nestes primeiros seis meses da sua gestão, já se verificaram grandes mudanças na Casa de Repouso?

 

António Silva: Já começaram e estão a decorrer. Tínhamos um projecto quando nos candidatamos e estamos a cumpri-lo, só que deparamos com uma situação bastante mais grave do que aquilo que estávamos à espera.

Cito o caso da protecção civil desta casa que estamos agora a tentar resolver mas que implica um investimento bastante avultado. Não existiam alarmes, portas corta-fogo e não se encontravam certificadas as medidas implementadas por uma empresa, uma vez que não tinha competência para o fazer.

Cito ainda o caso da existência de um carpinteiro nesta casa - caso único no país - que auxiliou a instalar essas medidas preventivas, obras essas que não estão certificadas, repito.

 

C@2000: Os utentes são a razão única da existência desta instituição. Qual o seu número actual?

 

AS: Temos 62. Faleceram seis e entraram outros tantos e temos cada vez mais em lista de espera.

 

C@2000: E quanto a funcionários?

 

AS: O número de funcionários diminuiu. Ao fim de dois meses, verificamos que esta casa estava um pouco à deriva. Dou como exemplo a inexistência de um único funcionário que soubesse os códigos do site e do e-mail desta instituição ou que nos pudesse informar onde estava a contabilidade, porque a funcionária meteu baixa e ainda hoje se encontra nessa situação, obrigando-nos a meter uma contabilista porque estavam quase em risco os salários desse mês. Inclusivamente a directora e a encarregada disseram-nos que nunca tiveram conhecimento de nada, nem tinham acesso à sala da direcção, enquanto que a sala da secretaria estava fechada à chave e a funcionária levava-a para casa.

Após a eleição, falamos com o presidente e o tesoureiro cessantes para que se processasse a passagem lentamente mas não o fizeram. Tivemos que começar tudo do zero. Não tínhamos qualquer elemento sobre a casa e decidimos então realizar uma auditoria, tal como já tínhamos prometido aos irmãos na assembleia geral.

Refiro que nós não despedimos ninguém, apesar de haver um quadro excedentário.

A encarregada, entretanto, demitiu-se, o carpinteiro chegou a acordo connosco porque não quis ir para outro cargo, quando lhe dissemos que não fazia sentido que uma IPSS tivesse um carpinteiro e a própria auditoria referia a inexistência de trabalho que o justificasse.

Estes foram os únicos funcionários do quadro que saíram.

Não despedimos ninguém apensa quebramos uma avença que tínhamos com um enfermeiro e em relação a um fisioterapeuta, pedimos-lhe um comprovativo da respectiva formação e a resposta foi um pedido de demissão há oito dias.

 

C@2000: Houve também um assessor da direcção - creio que era assim que se chamava -, que pediu também a demissão.

 

AS: Sempre apostamos no voluntariado. O dr. Bártolo esteve ao nosso lado, de uma forma gratuita, até que ao entrar numa nova fase da sua vida - e até por razões de saúde - deixou o cargo e pediu a demissão, embora seja uma pessoa que nós estimamos.

 

C@2000: Como escolheram o auditor?

 

AS: Publicitamos a auditoria junto de pessoas conhecidas que contactaram outras pessoas e tivemos cinco auditores candidatos que não conhecíamos, provenientes de vários pontos do país e que apresentaram os preços. Esta direcção teve a preocupação de escolher auditores que tivessem experiência neste tipo de instituições e credenciados, de fora da região, para que não sofressem influências nossas nem de qualquer pessoa daqui.

Não escolhemos a mais barata, nem a mais cara. Rondou os nove mil euros mais IVA. A auditoria está concluída mas estávamos sempre a encontrar coisas novas, pelo que à medida que enviávamos cartas aos fornecedores, aos familiares dos utentes, surgiam mais ramificações e o rol ia aumentando. Tivemos de reunir ao fim de três meses com os auditores e decidimos fazer uma paragem e tudo o que aparecer depois, nós acrescentaremos não a esta auditoria mas a uma outra, porque nós vamos continuar a auditar.

Publicaremos as conclusões desta primeira auditoria e enviá-las-emos às autoridades competentes, como seja o Ministério Público, Segurança Social, Cúria Diocesana e Finanças. Temos essa obrigação para com os irmãos, fazendo acompanhar essa auditoria com os nossos pareceres e os dos auditores.

C@2000: Pelo que nos diz, foram detectadas situações graves…

 

AS: Sim, há situações bastante graves no aspecto interno, a nível contabilístico e de acordo com o próprio direito canónico ou conforme os estatutos da Casa de Repouso. Houve algum interesse aqui instalado e um aproveitamento de parte de alguns elementos da direcção, dando como exemplo o facto de os estatutos estabelecerem que nenhum elemento da direcção pode ter negócios com a instituição, a não ser que esta tenha proveito com esse negócio, o que não foi o caso.

 

C@2000: No decorrer das eleições, muita gente dizia que o que se estava a passar era uma guerra entre dois bancos. Confirma-se isto, meio ano depois?

 

AS: É para explicar tudo isto, que no próximo dia 2, no Cineteatro Valadares, pelas 15 horas, e com transmissão através da Internet, vamos realizar uma sessão de esclarecimento.

Mas, adianto que nunca houve uma guerra de bancos ou de partidos. Houve sim, formas de estar diferentes. Os irmãos vieram pedir-nos ajuda para alterar a forma de funcionamento desta casa, porque ela funcionava de uma forma fechada. A direcção era eleita pelos irmãos e nunca mais na vida sabiam onde parava um cêntimo, que negócios se faziam. A Casa de Repouso não era obrigada a apresentar as contas à Confraria.

E digo-lhe que ainda bem que fomos eleitos porque vamos cumprir na íntegra o nosso programa, incluindo a nossa decisão de limitação de mandatos e para que a assembleia de irmãos possa aprovar as contas, para que esta casa seja transparente, o que nunca foi.

E em relação aos bancos, nos primeiros três meses, andámos a inteirar-nos do que é que se passava, porque nada possuíamos.

O próprio TOC desta casa estava bastante renitente em fechar as contas, o que só fez no último dia legalmente previsto, quando noutras instituições o tinha feito com antecedência.

Nós pedimos ainda a todos os bancos com quem trabalhávamos que nos indicassem as condições para saldos médios de contas à ordem e para taxas de juro de depósitos a prazo. As cartas vieram fechadas e eu tive o cuidado de que o banco onde trabalho fosse o primeiro a enviar por e-mail para que ficasse registada a data o dia e a hora. Felizmente, posso dizer-lhe que fomos o banco que apresentou a maior taxa de juro de remuneração de depósito à ordem e nenhum outro banco o fez. Independentemente disso, não deixamos de trabalhar com outros bancos existentes na praça.

 

C@2000: E como sucedia no passado?

 

AS: Antes, 60/70% do dinheiro estava depositado no banco do anterior presidente e o restante estava dividido, à ordem, por outros bancos.

 

C@2000: Havia aplicações financeiras em bancos, como se ouvia há muito?

 

AS: Havia uma aplicação financeira num dos bancos, conforme é referido na auditoria, no montante de 25.000€. Já pedimos por várias vezes a sua devolução, sem que o tivéssemos conseguido até ao presente, embora já tivessemos recuperado algum. Isto é ilegal e crime, porque as IPSS não podem constituir aplicações mas apenas depósitos a prazo puros.

 

C@2000: Mas, segundo parece, o saldo deixado pela anterior direcção ascende a 700.000€…

 

AS: Sim, até se falou em um milhão de euros, mas o valor é esse. O problema é que a instituição não está sustentável há já vários anos. Em 2009, esta casa deveria ter mais 150 a 200.000€ do que tinha em fins de 2012.

 

C@2000: Porquê? Em que se baseia para dizer isso?

 

AS: Pelas contas que vamos apresentar nessa sessão pública de esclarecimento.

 

C@2000: Porque optaram por essa sessão pública e não pela realização de uma assembleia geral para esclarecimento dos irmãos?

 

AS: Eu tive duas reuniões com o presidente da assembleia geral, exactamente na tentativa de fazer uma assembleia de irmãos, não só para expor a auditoria mas também para apresentar as contas de 2010 a 2013. O senhor presidente não achou oportuno fazer a assembleia pelo facto de não se ir tomar qualquer deliberação (nem a aprovação das contas, nem a auditoria), acrescentando ainda que uma condição para a sua concretização, seria a da entrega antecipada de toda a auditoria, tanto a ele, como aos irmãos. Nós entendemos que não, porque era na altura que os irmãos deveriam ter conhecimento dela.

 

C@2000: Já se fala há muito e continua a falar-se dos ouros e objectos pessoais dos utentes desaparecidos, bem como dos donativos dos utentes para entrarem para a instituição. Quer referir algo sobre isto?

 

AS: A auditoria abarcou a questão dos donativos, mas como se encontra em segredo de justiça, atendendo à existência de um inquérito por parte da Polícia Judiciária e Segurança Social, apenas posso dizer que a anterior direcção deveria ter-se demitido de imediato para que o inquérito em curso corresse sem que houvesse algo a esconder.

 

C@2000: Parece haver algum mau estar entre alguns utentes e seus familiares, pelo facto de pretenderem agora cobrar as despesas com medicamentos, fraldas e outros produtos de apoio aos internados, quando no passado isso não sucedia. Quer comentar?

 

AS: Esta é uma questão que eu iria levantar no próximo dia 2 de Agosto. Esta direcção está solidária com todos os utentes e seus familiares.

O que não vamos permitir é a ilegalidade de exigência de donativos para alguém entrar nesta casa. Nesta altura, isso não será exigido a alguém que pretenda ingressar no lar. Pagará apenas a reforma que tiver mais o complemento familiar que está legalmente previsto pela lei da Segurança Social.

Em todos os contratos que temos vindo a analisar e celebrados em anos anteriores, e já vamos em cerca de 70%, está escrito que os familiares ou utentes têm de pagar tudo o que seja serviços extra desta instituição: medicamentos, fraldas, fisioterapia, deslocações médicas, etc.

Está no preçário revisto em 2012 pela anterior direcção, pressionada pela Segurança Social.

Sinto-me triste porque nos últimos quinze dias, familiares dos utentes têm vindo falar connosco, dizendo-nos que tinham dado dinheiro de entrada e que não necessitariam de pagar mais nada (extras).

Eu disse-lhes que isso não era verdade, porque estava no contrato assinado por eles. Desafiei-os a fazer uma queixa ou a apresentarem um documento escrito em como isso foi dito e eu entrego-o ao senhor Vigário e às entidades competentes.

Mas, eles têm receio, ou da anterior direcção, ou de não serem bem atendidos no lar, acabando por não fazer qualquer queixa, dizendo-o verbalmente à nossa frente e dos funcionários mas, depois, acabam por ter de cumprir o que está na legislação em vigor.

 

C@2000: Essas entradas de dinheiro não estão escritas em acta ou não existem cheques comprovativos?

 

AS: Em 98% dos casos, era dado em dinheiro. O que sabemos oficialmente são os que estão registados em acta. Nós garantimos que se as pessoas nos comprovarem através de recibo ou nos disserem que entregaram esse dinheiro, nós iremos cumprir, por muito que isso seja lesivo da instituição. Só que isso não é um donativo.

Nós temos recebido cartas anónimas mas não temos receio, tal como gostaríamos que a população não tivesse receio e denunciasse estes casos.

Das sete pessoas que entraram este ano, não temos um único donativo. Não exigimos donativo, embora apreciemos que as pessoas no-los dêem mas, não como forma de entrar neste lar.

Espero bem que quando as investigações da Polícia Judiciária forem concluídas ou outros elementos vierem à luz, nós estaremos disponíveis para colaborar.

 

C@2000: É verdade que no passado apenas uma farmácia era a fornecedora do Lar?

 

AS: É verdade. Só uma farmácia fornecia a totalidade dos medicamentos durante estes nove anos. Assim como gostaria que me perguntassem quem era o principal fornecedor - de qualquer bem - deste Lar.

 

C@2000: E como é que funcionam os fornecimentos a partir da vossa entrada em funções?

 

AS: Como funcionou antes dessa direcção entrar. Distribuir mês sim, mês não, farmácia a farmácia, pelas duas existentes em Caminha, porque se houvesse três, distribuiríamos pelas três. Nós até deveríamos agora distribuir a receita pela que não foi contemplada nestes anos todos, como forma de compensação. Mas, como somos pessoas de bem e transparentes, não o fazemos. Nós, quando somos directores desta casa, temos que nos esquecer com quem nos damos bem ou com quem nos damos mal. Quem assim não o fizer, não deve entrar nesta instituição.

 

C@2000: E quanto ao futuro? Que projectos em mente? A designada "casa do Evaristo", por exemplo?

 

AS: Fomos apanhados de surpresa com algumas despesas que nos deixaram, com contratos assinados e vinculativos e com data posterior à nossa tomada de posse.

Quanto à questão que me coloca, há um processo a decorrer na Câmara Municipal há já vários anos e, segundo me informaram, foi chumbado várias vezes pelo IPPAR e desde 2009 que não anda, nem desanda.

Há uma falsidade no meio disto tudo.

Sempre nos disseram que esta obra ao lado do edifício do lar seria para a continuação da Casa de Repouso. Contudo, o projecto para esse local era para abrigo de mulheres vítimas de violência doméstica, o que não tem nada a ver com as valências desta instituição. Ia-se ali gastar cerca de meio milhão de euros numa valência inexistente.

Lamentamos esta questão das valências porque esta instituição tinha uma valência de centro de dia, publicada em Diário da República, mas a direcção anterior deixou-a cair em 2012. E, agora, não nos dão, apesar de já termos pedido. Como é possível não usufruir desta valência, quando Vilarelho e Moledo têm excesso de pessoas a querer apoio?

 

C@2000: Qual a situação financeira actual desta Casa de Repouso?

 

AS: Os erros de gestão cometidos ao longo de uma década foram graves. Quando a receita de uma IPSS é baseada em donativos, ela sobe até atingir um pico. A partir dali não pode subir mais, porque já tem cá os utentes e estes não aumentam. As quebras de receitas são brutais, assistindo-se a um retirar de dinheiro nos últimos três anos.

Esperamos voltar a colocar esta casa sustentável dentro de dois ou três anos.

Se nada fizermos, dentro de seis anos esta casa não terá dinheiro, como muitas outras IPSS.

 

Entrevista retirada do caminha2000

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:05


56 comentários

De Carrapata a 16.12.2014 às 21:09

Olá
Uma casa de repouso com um presidente deste calibre??
Digam-me uma coisa este Senhoreco ainda exerce funções???
Tenho pena dos pobres coitados que daquele abrigo precisam e dos seus familiares por terem de se sujeitar a tamanha aberração de presidencia....

De Alice a 11.09.2014 às 19:52

As cozinheiras contratadas em cima do joelho (a mãe da amiga do banco e a prima da mulher), elas sabem o que fazem??? Pois, a mim também me parece que de cozinheiras só de nome. Deram peixe estragado aos idosos, sim, peixe estragado. E os idosos ficaram doentes, diarreias, estômago, andaram a ser alimentados a sopa de arroz durante dias. Quem explica isto???? Onde está a sua moral e ética? Credo, Sr, Presidente, que anda a fazer todos os dias no lar??? Está mais preocupado em estragar a vida das pessoas, não é??? Eu só lhe tenho a dizer uma coisa, é um impostor. Continua a insistir na sua faceta de bom samaritano e já ninguém acredita. Mas os nossos idosos não têm que levar com as suas loucuras e burrices. Tanta barbaridade. Só visto. Mas isto é mesmo verdade. Infelizmente.

De Agata a 11.09.2014 às 16:19

Já sabem da nova contratação, não?? Que a nova enfermeira é irmã da advogada do lar, que por sua vez é amiga do presidente. Bonito, não é? E agora???? Ficam todos muito bem na fotografia, claro que sim. Daqui a uns tempos, ainda vamos ver, o Sr. António a mudar o nome ao lar. E bem vistas as coisas, até que não é má ideia. Chamar-lhe-ia Casa do António e seus parentes.

De caridade a 11.09.2014 às 13:13

All we need is love...
E uma caixa bem grande de prozac para aguentar tanta barbaridade.
O que o Sr. António diz... é de bradar aos céus.

De Anónimo a 08.09.2014 às 18:03

O que para aqui vai, penso que este senhor só tem uma solução que é se demitir.

De Anonimo a 11.09.2014 às 17:37

Ainda não se governou na totalidade, Ainda há muito dinheiro no Lar para distribuir. Ainda falta meter a mulher para Diretora e ao Vitor pagar o serviço que andou a fazer.

De lagarto a 28.08.2014 às 17:27

Este senhor é um bom exemplo do cidadão neste país de façanhudos e gente de riso tonto e fácil. Gente de comunicados oficiais e de “oficiais” sem capacidade de comunicação. Neste país de pseudo cultos sorumbáticos e de palhaços alegres mas ridículos. De gente alinhada em demasia ou demasiado desalinhada; Deprimida e deprimente.

Sr presidente do lar
Eu insultava-te mas acho que não irias notar.
Não, não te chamei estúpido. Isso seria insultar os estúpidos deste mundo.
Nem todas as pessoas são aborrecidas, também há os falecidos.
Estou a tentar imaginar-te com uma personalidade.
Se eu atirar uma garrafa para longe tu sais dai do lar?
Tu? Do meu planeta?
Quando é que o teu circo de anormalidades passa cá para te vir buscar?
E… a tua opinião deslocada, estúpida e a despropósito, seria?
Será que os extraterrestres se esqueceram de te retirar a sonda anal?
Qualquer que seja o teu novo visual devo dizer-te que falhaste.
Deves ser o único génio com um Q.I. de 10.
Os teus pais por acaso não serão irmãos?
Deve estar a fazer anos que foste excretado pelo organismo da tua mãe, não?
Deixa lá, ainda um dia hás-de ser famoso. Lá no manicómio onde te internarem.
Estás a começar a parecer razoável, vai tomar a medicação!
Tens mesmo cara de santo… António
Não sei qual é o teu problema mas com certeza a psiquiatria em um nome para ele.
Ok, prometo tentar ser mais simpático se prometeres tentar ser mais inteligente.
Irra! Parece impossível como em tempos foste o mais rápido dos espermatozóides!
Eu sei que toda a gente tem direito a fazer asneiras mas tu abusas desse direito.
Já pagaste as quotas deste mês do clube dos canalhas?
Eu sei que não és um plagiador, mas tu não plagias é a raça humana!
Se alguma vez te vir a afogar, prometo que te atiro uma corda, ambas as pontas e tudo.
Só ouvirás algo de bom acerca de ti se for num monólogo!
Gostava imenso de trabalhar para si, mas como coveiro.
Se disse algo que te tenha ofendido, podes ter a certeza de que foi totalmente propositado.
És tão estranho que eras capaz de tropeçar no fio de um telefone sem fio.
Eh pá, vai afogar peixes!
Faz um favor á sociedade e desaparece

De nono a 26.08.2014 às 19:29

o nosso tony silva fica mesmo bem na fotografia, somente a gravata amarela não fica nada bem com a cara da macieira. E para quem andou a estudar para padre, aprendeu bem a lição de caridade para com os mais necessitados.A homilia é que não conjuga com as praticas por ele usadas. É ditador,mentiroso e vigarista.Dizem que pratica luta livre no domicilio e até já dormiu no seu carrinho no largo da feira.Coitadinho apanhou a geada da noite para ressacar.VIVA AO PRESIDANTE!!!!

De Revoltado a 28.08.2014 às 13:15

Eu tenho pena de pessoas como o senhor, que não sabem comportar-se... um EXIBICIONISTA . Que pretende, afinal??? Já todos (ou quase) tivemos oportunidade, em algum momento, de o ver em "actuações" menos dignas... Ponha-se no seu lugar e se não sabe qual é, esclareça-se... Haja paciência.

P.S. há uma coisa que não se compra: elegância.

De Anónimo a 28.08.2014 às 17:46

Este psedo senhor já ultrapassou todos os limites, eu já nem sei o que pensar, será que é dele mesmo assim? Ou será que o que ele diz e faz é sob o efeito da macieira? é que até se torna difícil de acreditar que exista criatura tão má como presidente de uma casa de respeito. Mas as palavras por ele proferidas, e os atos por ele praticados, não deixam duvidas, da criatura mentirosa, má, rancorosa, vingativa, desumana , egocentrica, ditadora, maquiavélica, ... que ele é. Irmãos da confraria unam-se e ponham termo a este mandato desta direção que tem como presidente uma criatura destas.

De leao a 23.08.2014 às 18:05

No baile da sra da Agonia o coronel macieira andou a fazer espetaculo com as suas pombinhas , todas dançavam alegremente em volta do patronzinho coronel.
Quantos empregos foram pedidos ? Será que é desta que os irmaos pedem uma assembleia extraordinária, para correr com aquele grupo de abutres que está a arruinar a casa dos idosos?
A meia pita até dançava de contente, pois deve estar a entrar o seu genro fisioterapeuta. A mila foi pedir proteção divina para conseguir meter a norinha mais nova ,logo a seguir ao parto.Que irá ela fazer? Limpar sanitas?
Mas a medio prazo outras cunhas se seguem: a meia irmã da meia pita/ a mãe duma colega do macieira da caixa agricola,que até lhe deu a escolher entre ajudante de lar ou no serviço de apoio domiciliario, inventado por ele/ a BINA MORTE , apoiante de campanha e com novo visual, para segurança privada dos da direção/alguns dos namorados do tesoureiro, para fazerem companhia nas noites de vigilia do tesoureiro no lar/a sogra do macieira para encarregada de serviços/e não esqucendo a sua dama para diretora.
e outras se seguem....

De Anónimo a 20.08.2014 às 09:47

a que se demitiu da direção que é que queria para encarregada? a irmã que também lá trabalha...

e ficou foi com azia por o enfermeiro amigo de argela ter sido despedido porque horários não era com ele.

mas não, a anterior direção é que é boa. medicamentos só da farmácia torres. obrigação de entradas em dinheiro e outros bens para passar a ser utente.

mas caminha tem o que merece.

boa sorte e coragem ao novo presidente (que parece que a tem!)

ps: estou para ver o que o comando dos bombeiros vai fazer aos dois elementos da corporação que no exercício das sua funções agrediram um cidadão (o presidente do lar).

De Anónimo a 22.08.2014 às 12:24

Essa deve ser para rir a Fernanda foi embora, porque não alinhava nos jogos sujos do anormal do presidente, que só mete lá os amigos e familiares, a Fernanda como era uma pedra no sapato dele pois com ela, ele não fazia o que queria arranjou maneira de ela se ir embora, não sem antes a insultar e quase agredir em pela sala de reuniões no lar, nem sequer respeitou um velório que estava lá. Os insultos eram tantos que as pessoas que estavam no velório ficaram pasmadas com tal coisa. Agora sim ele vai fazer o que quer, pois os outros fazem tudo o que ele quer. Os outros elementos da direção não tem personalidade nenhuma, para continuarem na direção depois do que se passou em plena reunião com a colega Fernanda.

De Anonimo a 22.08.2014 às 16:43

Tantos conhecimentos de casos do Asilo? Espero que relate o caso que se passou nas Festas da Sª da Agonia. Porque será que estes casos tem um denominador comum. António Silva presidente da Direção. Já agora relate também o que se passou na reunião da Direção em que o Secretário apresentou queixa na GNR.

De Isa a 26.08.2014 às 13:01

Vivemos numa terra, pequena, tudo se sabe. SÓ NÃO VÊ QUEM NÃO QUER (ou prefere assim). O Sr. de quem tanto falam (e por que será, que de repente é o assunto do dia?) já demonstrou quais os verdadeiros interesses e objectivos e não são gerir com brio, ética ou transparência o Lar ao qual se candidatou com tanta vontade, (sabe-se lá por quê). Essa pessoa não tem princípios ou valores morais (quanto à coragem, enfim, depende do conceito de cada um, a mim parece-me ignorância e despeito.) Façam-me um favor, deixem-se de lamúrias e ajam, não podemos ficar indiferentes a tanta barbaridade, descaramento e sobretudo indiferença pelos sentimentos do próximo (os idosos, os funcionários e até pessoas sem ligação à casa de repouso). A mim causa-me náuseas, sou caminhense e humana, sim humana, e justa e lamento certas atitudes e comportamentos desprezíveis e inomináveis. Essa pessoa não pode continuar a fazer o que entende. NINGUÉM ESTÁ ACIMA DA LEI. Ponto. Sejam práticos e reflitam... Uma pessoa que, durante a sua gestão como presidente da casa de repouso, limita-se a criticar, injuriar, causando mau estar entre todos.... Empregou quantos, afinal? Ah, uns familiares e amigos, pois claro. Que é isto????? Comportamentos ABUSIVOS e é melhor ficarmos por aqui. Eu já cheguei a uma conclusão, infelizmente, a pior de todas, a pessoa só quer protagonismo, e é um VAIDOSO DESCARADO E SEM VERGONHA. E é nas mãos de um homem como este que querem deixar os vossos pais, avôs, amigos? Se me está a ler, Sr. Presidente, ponha a mão na consciência e faça um favor a si mesmo, demita-se. Já causou estragos suficientes e em tão pouco tempo. Que eu chego a pensar que pessoa é afinal??? Nem o senhor deve saber a resposta.

De inteligente a 22.08.2014 às 18:29

para sua informação sr. anónimo, dado que está muito mal informado, o Enfermeiro não foi despedido, mas despediu-se. e sabe porquê? Por não estar habituado, a trabalhar com garotos, que dizem uma coisa pela manhã, depois do meio dia já fala a macieira e à noite dá o dito pelo não dito.
Quanto a cumprimento de horários, estava disponível 24 horas por dia, como todos os funcionários saberão, incluindo o sr anónimo. Não conseguirão ninguém para o lar com a disponibilidade e profissionalismo do enfermeiro cessante, e acredito que muitos idosos sentem muito a falta desse enfermeiro.
Quanto à enfermeira que se demitiu, com certeza que comungará da mesma opinião, não saber trabalhar com garotos e com egocêntricos, adjectivos atribuídos inteiramente ao canalha do presidente do lar.Em relação à pseudo-agressão depois das averiguações se saberá a verdade.
Alguém lute pelo bom nome da Casa de Repouso da Confraria do Senhor dos Mareantes, antes que este garoto a arruíne por completo.

De Rio Coura a 24.08.2014 às 22:44

Existem pessoas que deviam estar caladas e nada dizer sobre o que nada sabem ou nada viram. Estive em Vilar de Mouros e bem perto desse senhor (anjo da guarda dos velhinhos do lar) e não vi nenhuma agressão física, como é dado a perceber no comentário, houve uma troca de palavras e não passou disso, com muita pena minha.

De Isa a 25.08.2014 às 20:08

E ainda acreditam no pai natal??? Caramba, ou são mesmo ingénuos ou eu fujo para a ilha. Como é que é??? Dois bombeiros agredir uma pessoa no exercício das suas funções??? Essa é boa. Não fosse o caso tão sério e eu escangalhava me a rir. Tenham paciência, mas este homem é um conflituoso e só usa dos truques mais baixes... DEPLORÁVEL É O QUE É.

De isa a 26.08.2014 às 15:52

Vamos por partes, 1º a que propósito dois bombeiros (com anos ao serviço do concelho e da população em geral, para que conste), a exercer as suas funções num local público e com tanta gente "atacariam" uma pessoa??? A função deles é DEFENDER VIDAS. LEIA-SE: DEFENDER VIDAS. E fazem-no com muita honra e mérito (coisa que esse homem não sabe o que significa, pois faz exactamente o contrário, destrói e corrompe tudo o que aparece na frente. Eu diria mais, o homem é um coitadinho, tudo lhe acontece... caramba, já repararam nas queixas que apresenta na GNR local???? Bem, adiante, entretanto não satisfeitos, ainda atacam a mulher do ofendido, certo??? E por fim, os ofendidos continuam no recinto, felizes e contentes a assistir a actuação, como se nada se tivesse passado (e não passou certamente)... FALHARAM nesta parte, para ser mais credível e real, deveriam ter se retirado chorosos e deprimidos... E eu é que sou o tolo?????? POUPEM-ME. Este homem já chateia, para não dizer coisa pior. Há limites, não acham? Querem ser protagonistas de um filme dramático? Que sejam, mas no local apropriado e com atores a sério. Não arraste consigo, quem nada tem a ver Sr. presidente do Lar dos Mareantes (até me doeu agora).

De rato a 13.08.2014 às 21:31

Então o sr. presidente do lar, agrediu verbalmente e quase fisicamente a colega de direção (nandinha)numa daquelas reunioes noturnas !!! Após a qual foi identificado na porta do lar, ás 23 h. pela GNR. Que belo episodio para uma casa de idosos, e da qual esse senhor dizia ter tanto amor aos velhinhos...E demitiu a colega de direção com votação favoravel do dininho e do nauzinho. Subiu o poder á cabeça do macieira, ou tambem já mudou os estatutos da casa?
Quantos funcionarios meteram sem concurso? E todos de qualidade e com provas dadas no mercado da treta...Desta vez nem o SENHOR DOS MAREANTES VAI FICAR NA FOTOGRAFIA COM TANTA BORRADA.
Novos episodios se seguem dentro em breve....

De Anónimo a 14.08.2014 às 11:48

Esse anormal do presidente, que se vá embora, só está a denegrir a imagem daquela casa, uma casa de respeito, que anda na boca do povo pelos piores motivos. E o Vice presidente sempre pensei que fosse mais correto, devia ter ficado do lado da Fernanda e ter ido embora com ela, mas coitado deve estar muito pobrezinho, sujeita se a toda esta palhaçada para vender mais uns medicamentos. Agora sem a Nanda é que o presidente vai fazer o que quer , ele manda e os cordeirinhos obedecem

De Anónimo a 14.08.2014 às 17:30

Os funcionários que entraram prestaram provas na semana das eleições, a convencerem família e amigos a irem votar nesta escumalha de direção para terem um emprego lá. Porque é que acham que a Mila esteve tão ativa, para a nora ser a encarregada, e a meia pita, essa quer por lá o genro e não tarda muito está lá. Foram tantas as procurações que levaram para votar, nunca tal se viu tantas procurações, ( Provavelmente até os defuntos votaram). Agora á que cumprir a promessa das eleições, mas mesmo assim não dá para todos, primeiro entram os familiares e amigos e os outros ficam a chuchar no dedo. E mais só mete ignorantes lá dentro, para ele poder manipular á vontade, é que em terra de cego quem tem olho é rei. Porque acham que ele correu a Fernanda?

De Anónimo a 18.08.2014 às 14:44

A Mila quer também por a outra nora, que ainda só não entrou por estar grávida, mas tem um lugar lá para ela, e a meia pita bem por enquanto ainda só conseguiu uma coisa que foi mudar de setor, o genro e a sobrinha ainda não entraram mas não deve demorar muito, principalmente o genro, porque acham que correram com o Manel?

De Anónimo a 19.08.2014 às 16:41

Porque correu com a Fernanda? Porque era a única que poderia levantar problemas para o presidente meter a mulher (Carla Fão) como Diretora, por esse motivo já tirou os poderes à Diretora e Encarregada

De Silva a 14.08.2014 às 18:30

Ainda a procissão vai no adro, se o Bispo não tem mão disto adeus Lar dos Mareantes. É mesmo mafioso. Então vai destituir um membro que foi eleito em Assembleia Geral? E os outros membros da Direção são tão mafiosos como ele, que desconhecem que isso não é possível. Mas há mais a mulher do presidente já se anda a treinar para ser admitida como diretora. Abram os olhos. Os pescadores que lá o puseram, porque aquilo era deles, por este andar antes do fim do ano o Lar fecha. Primeiro atacou o pessoal, depois os idosos e agora os colegas de direção. Que mais vos irá acontecer

Comentar post


Pág. 1/3



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Julho 2014

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D