Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Desenganou-se a oposição social-democrata na vereação caminhense, ao apresentar um requerimento em que solicitava informação sobre mapas de fundo de maneio e ajudas de custo, pagas aos membros do actual Executivo socialista.

Miguel Alves, presidente do Executivo, entregou à bancada do PSD uma caixa de cartão contendo um resumo dos documentos solicitados, mas foi mais longe, ao abranger nessa informação os comprovativos dos pagamentos feitos entre 2010 e 2013, período em que Júlia Paula presidia ao Município.

O actual presidente leu ainda uma resposta dada aos edis do PSD sobre o assunto solicitado, do qual se conclui que nos "últimos dois anos, o Município de Caminha despendeu 204,20€ em ajudas de custo ao vereador Rui Teixeira, relativos a deslocações fora do concelho, nada tendo sido pago ao próprio presidente e demais vereadores durante esse período.

Contudo, nos "quatro últimos anos do mandato anterior, o Município de Caminha despendeu 8.755,15€ a título de ajudas de custo aos vereadores Flamiano Martins e Mário Patrício e presidente Júlia Paula, "sendo que a maior fatia desse valor" foi pago a esta última (7.953,32€), por deslocações diversas, "incluindo viagens ao estrangeiro mas também a reuniões da Pólis Litoral Norte, em Viana do Castelo, da CIM Alto Minho, em Ponte de Lima, e outras que ocorriam por todo o país".

Em relação a abonos de ajudas de transporte, nos últimos dois anos o Município despendeu a quantia de 842,40€ relativa a deslocações do vereador Rui Teixeira "em carro próprio com as despesas de combustível e portagens inerentes".

Quanto às verbas gastas através do fundo de maneio, Miguel Alves voltou a comparar os montantes recebidos pelos seus vereadores "em conjunto com os chefes de divisão em funções" entre 2013 e 2015, com o que os quatro edis do PSD, "em conjunto com os chefes de divisão em funções e com o Sr. Paulo Marinho" receberam entre 2010 e 2013.

Foram estes os números e percentagens apresentados por Miguel Alves:

1 - No ano de 2015, o atual executivo, em conjunto com os chefes de divisão em funções, gastou a quantia global de € 3.113,54.

2 - No ano de 2014, o atual executivo, em conjunto com os chefes de divisão em funções, gastou a quantia global de € 3.573,66.

3 - No ano de 2013, o atual executivo não gastou um cêntimo em fundos de maneio.

4 - No ano de 2013, o executivo anterior, em conjunto com os chefes de divisão em funções e com o Sr. Paulo Marinho, gastou €15.745,85, ou seja, mais 340% do que gastou o atual executivo em 2014.

5 - No ano de 2012, o executivo anterior, em conjunto com os chefes de divisão em funções e com o Sr. Paulo Marinho, gastou €14.967,47, ou seja, mais 318% do que gastou o atual executivo em 2014.

6 - No ano de 2011, o executivo anterior, em conjunto com os chefes de divisão em funções e com o Sr. Paulo Marinho, gastou €17.804,25, ou seja, mais 398% do que gastou o atual executivo em 2014.

7 - No ano de 2010, o executivo anterior, em conjunto com os chefes de divisão em funções e com o Sr. Paulo Marinho, gastou €25.376,47 ou seja, mais 554% do que gastou o atual executivo em 2014

 

A vereadora, visivelmente agastada com a situação e com a entrega da caixa de cartão, disse que esta era a política "trabalhada" pelo actual Executivo, ao ir buscar documentos do passado quando, "o que interessa é o presente", afirmou, além de protestar por não lhe responderem a outros requerimentos.

Após referir que os documentos entregues, nada lhes diziam ("não quero esses documentos", afirmou), recusar-se-ia a aceitar a caixa de cartão.

Miguel Alves assumiu que compreendia o "incómodo" que a resposta dada tivesse causado ao PSD, mas "estes são os factos", asseverou, pois tinha sido o que haviam solicitado, devendo por isso, manter-se "tranquila".

Gastamos muito menos do que no passado", acrescentou, e "a evidência está aqui", desafiando ainda a vereadora a "colocar as questões que quiser e nós tomaremos a liberdade de responder como quisermos".

Sobre os atrasos nas respostas a outras solicitações do PSD, Miguel Alves assumiu dificuldades dos serviços em responderem a todas elas em tempo útil, devido à quantidade de pedidos apresentados.

 

Texto do caminha2000

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:38

 

De modo a acalmar a situação na Casa de Repouso do Bom Jesus dos Mareantes, o Bispo de Diocese designou o padre Filipe Sá, pároco de Caminha e Vilarelho, para vice-presidente da direcção.

Pouco tempo depois da investidura dos novos corpos sociais há ano e meio atrás, demitiram-se uma vice-presidente da direcção e o presidente da Assembleia Geral.

Há duas semanas, saiu o tesoureiro e o 1º secretário da Assembleia Geral.

Entretanto, tinha sido posto a circular clandestinamente um panfleto inqualificável - tal como vários outros no passado, envolvendo esta e outras instituições -, acto que se encontra a ser investigado pelas autoridades policiais.

Refira-se que com os novos estatutos da Irmandade e Casa de Repouso da Confraria do Senhor dos Mareantes, é possível ao Bispo da Diocese intervir na sua orgânica interna.

 

Texto publicado no caminha2000

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:30


Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Dezembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D