Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Onde está a Mediana do Couto suspeita-se logo de negociatas e tráfico de influências. Nisso entendem-se todos, sejam do PSD e do CDS ou do PS.

A empresa da mulher do Couto está a ser investigada pela POLICIA JUDICIÁRIA? É o que diz o DN e a Visão…….. http://www.dn.pt/politica/interior.aspx?content_id=4131497 PJ INVESTIGA DESVIO DE DINHEIROS PÚBLICOS NO PSD. A Polícia Judiciária do Porto solicitou à câmara municipal de Gaia os processos relativos à adjudicação de negócios que envolvem a agência de publicidade WeBrand e a câmara municipal de Gaia, de acordo com a revista "Visão". A diretora-geral da agência, Cristina Ferreira, terá declinado o declinado o convite para fazer a campanha de publicidade institucional para a câmara de Gaia e recomendou uma pessoa da sua confiança, a filha, Maria Catarina Rocha, de 19 anos, estudante do segundo ano de Ciências da Comunicação. O contrato tinha duração de 90 dias, a quase 7 mil euros por mês. Foi assinado no início de janeiro de 2013, quando Luís Filipe Menezes estava à frente da autarquia. O atual presidente da câmara municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, confirmou que a PJ solicitou este e outros processos no âmbito de uma investigação mais vasta, diz a "Visão" na revista nº 1124 de 24 de Setembro de 2014.

A PJ tem na mira pelo menos uma dúzia de concursos e ajustes diretos, dos dinheiros gastos em publicidade com a Global Notícias, proprietária do JN, aos ajustes diretos da empresa municipal Gaianima às agências Next Power e Boston Media. A polícia estará a investigar os valores gastos em propaganda pela autarquia, a contratação de empresas de comunicação, pedidos de pareceres jurídicos e o contrato celebrado com a empresa Mediana, gerida pela mulher do autarca socialista Joaquim Couto, antigo vereador em Gaia, que produziu o último livro do último mandato de Luís Filipe Menezes em Gaia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:09

Foi aprovado, na passada sexta-feira em Assembleia Municipal, o relatório de prestação de contas de 2014 da Câmara de Caminha. O documento contou com os votos a favor dos deputados do PS, dos votos contra do PSD e da abstenção da CDU.

fotografia.jpg

 A sessão ficou marcada pelas nove declarações de voto apresentadas pelos deputados sociais-democratas, tendo o presidente da Câmara, Miguel Alves, rejeitado todas as acusações, dizendo mesmo que a infâmia não tem lugar no debate político, mas sim nos tribunais.

Os deputados do PSD anunciaram que vão enviar para apreciação no tribunal de contas o relatório de prestação de contas de 2014. Em causa, segundo o líder da bancada do PSD Rui Taxa, estão irregularidades apresentadas no documento

O PS votou a favor do documento. O deputado socialista Rui Lages destacou as poupanças do executivo. O relatório de prestação de contas contou ainda com a abstenção da CDU. Celestino Ribeiro explica porquê. Os deputados municipais do PSD apresentaram então declarações de voto, alegando que o documento se encontra “cheios de erros, rasuras, omissões, irregularidades e ilegalidades”.

Miguel Alves pediu a defesa da honra. O autarca rejeitou todas as acusações, dizendo que a infâmia não tem lugar no debate político, mas sim nos tribunais.

O relatório de prestação de contas de 2014 foi aprovado com 20 votos a favor, 9 contra e 5 abstenções.

 

JornalC

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:05


Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Maio 2015

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D