Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A concelhia do PSD de Caminha diz-se preocupada com o futuro das piscinas de Vila Praia de Âncora. Aquela entidade política emitiu um comunicado a acusar o executivo camarário liderado pelo socialista Miguel Alves de estar a distorcer as contas da autarquia para ter um motivo para encerrar aquele equipamento público, inaugurado há apenas quatro anos.

Recorde-se que a equipa socialista acusa as piscinas municipais de Vila Praia de Âncora de estarem a afundar as contas da autarquia, custando todos os anos aos munícipes cerca de 800 mil euros.

A presidente da concelhia do PSD de Caminha, Liliana Silva, vem agora a público acusar os governantes do PS de estarem à procura de motivos para encerrarem as piscinas municipais.

 

Notícia retirada do jornalC - Caminhense

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:06

As freguesias de Caminha e Vilarelho fundiram-se numa única, por imposição do Governo, e tiveram de acertar as contas do ano de 2013, aprovadas em assembleia de freguesia. Caminha apresentou um saldo de 268€ e Vilarelho de 3.128€.

O problema surgiu quando o delegado socialista Pedro Vila Pouca se insurgiu contra o que classificou de "esbanjamento" de 50.000€ em quatro anos por parte da antiga Junta de Freguesia de Vilarelho.

"Já ando aqui há 20 anos e custa-me ver isto", desabafou este ex-delegado da AF de Vilarelho, acrescentando que se tinham feito muitos sacrifícios para poupar essa verba para agora a verem desaparecer - e que agora fariam muita falta em época de crise, assinalou -, "quando nada se fez", exceptuando, "uns metros quadrados de alcatrão e a compra de um tractor".

 

Vítor Couchinho, ex-presidente da Junta de Vilarelho, e actual delegado do PSD na nova freguesia, refutou a acusações dizendo que uma confusão no PPI camarário, ao ter sido colocada a obra da Rua da Urraca em vez da Sª da Encarnação, e a ausência de um protocolo que garantisse o pagamento da obra por parte da câmara, liderada por Júlia Paula inviabilizou o financiamento da obra.

 

Miguel Gonçalves, actual presidente da Junta de Caminha/Vilarelho, lamentou a existência única de compromissos verbais para a obra da Senhora da Encarnação realizada a expensas da junta (13.000€) no anterior mandato, pelo que seria agora difícil reaver essa verba que competiria à câmara custear.

 

O novo líder da autarquia Caminha/Vilarelho disse ser necessário ver o que se anda a fazer com dinheiros públicos, advogando que fosse impedida a existência destas situações (obras a correr) nove meses antes das eleições. Acrescentaria que o único protocolo encontrado na sede da Junta de Freguesia de Vilarelho referia-se à construção de um muro, o qual, aliás, não fora executado.

 

O assunto viria ainda a ser objecto de um comentário da parte de um antigo presidente de Junta de Vilarelho (Serafim Cubal). Após lamentar que tivesse sido "esbanjado o património da freguesia em quatro anos", proveniente da venda de um terreno - ainda antes da sua passagem pela junta -, em limpeza de caminhos, cuja tarefa pertencia à câmara, Cubal referir-se-ia à questão da obra da Senhora da Encarnação alargada no anterior mandato, quando tal competia ao loteador da Rua da Urraca. Referiu que existia uma caução para prevenir o incumprimento por parte do loteador, daí o interrogar-se do porquê da Junta em assumir a obra do arruamento da Sª da Encarnação.

 

Dois moradores da Rua da Pereirinha apresentaram queixas pela escorrência de água do monte nos períodos de alguma pluviosidade neste arruamento, devido à inexistência de canalização de águas perdidas.

"Nasce por debaixo da garagem", disse um dos moradores, classificando a situação de "insustentável", originando que a própria calçada tivesse abatido, tendo-se agravado o caso após o último inverno castigador e pela acção dos pesados que por aí passam.

 

Texto retirado parcialmente do semanário digital caminha2000

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:07


Judiciária novamente em Caminha

por pubicodigital, em 09.05.14

Inspetores da Polícia Judiciária de Braga estiveram ontem em Caminha, efetuando nova diligencias de investigação, relativos a processos em curso que envolvem atos de gestão autárquica do mandato da ex presidente Júlia Paula Costa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:16


Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Maio 2014

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D