Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Em Abril do ano passado, Júlia Paula não se contentou com "menos" e apresentou uma espécie de milagre: após dois anos consecutivos de contas negativas, com buracos da ordem dos 800 mil euros em 2010 e dos 2,7 milhões de euros em 2011, o ano de 2012 trazia uma aparente recuperação, extraordinária: um lucro de mais de dois milhões de euros!

A Câmara de Caminha parecia um oásis no meio da crise nacional e internacional e, como se diz na gíria, quando a esmola é grande o pobre desconfia...

Aliás, os números há muito que suscitavam dúvidas.

Em Agosto do ano passado, o economista António Dourado bateu com a porta intempestivamente. Aquele que foi o "rosto" das contas da Câmara de Caminha durante largos anos - dizia-se nos corredores - não podia mais e não quis arriscar ir mais longe, até porque a Câmara já estava sob suspeita por inúmeros casos e a Polícia Judiciária tinha em curso uma complexa investigação, que ainda se mantém.

A despedida de António Dourado foi tempestuosa e aconteceu imediatamente a seguir a uma discussão com o chefe de gabinete de Júlia Paula, o contabilista João Silva. Os pormenores da zanga ficam, por agora pelo menos, num círculo restrito a que não temos acesso, mas tudo indica que ainda vão ser pedidas, no futuro, muitas explicações sobre estes e outros episódios.

Júlia Paula e João Silva abandonam o edifício da Camara na véspera da tomada de posse do novo executivo

Na última quarta-feira, o presidente da Câmara, Miguel Alves, fez a apresentação aos restantes membros do executivo, do Relatório final de revisão limitada às demonstrações financeiras do município de Caminha com referência a 31 de outubro de 2013.

Miguel Alves já tinha dito que foi a dificuldade em aferir a real situação financeira do município que levou o executivo a realizar uma auditoria externa. O âmbito dos serviços solicitados pelo município visava três aspetos essenciais: avaliar a situação económico-financeira do município de Caminha em 31 de outubro de 2013; análise à parceria público-privada (PPP) realizada para a construção das Piscinas de Vila Praia de Âncora e avaliar o cumprimento da Lei dos Compromissos e dos pagamentos em atraso, assim como dos contratos/compromissos assumidos após 1 de julho de 2013.

Um resumo das conclusões desta auditoria pode ser consultada aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:06


Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Fevereiro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D